Topo
pesquisar

Tratado de Brest-Litovsk

Século XX

O Tratado de Brest-Litovsk ratificou a saída da Rússia da Primeira Guerra Mundial e assegurou a paz com as Potências Centrais. Os termos do tratado foram duros para a Rússia.
Delegações que participaram das negociações que resultaram na ratificação do Tratado de Brest-Litovsk em 1918.*
Delegações que participaram das negociações que resultaram na ratificação do Tratado de Brest-Litovsk em 1918.*
PUBLICIDADE

O que foi o Tratado de Brest-Litovsk?

O Tratado de Brest-Litovsk foi um tratado de paz assinado entre a Rússia (já governada pelos bolcheviques) e as chamadas Potências Centrais (Alemanha, Áustria-Hungria, Bulgária e Império Otomano). Esse acordo foi assinado em 3 de março de 1918 e oficializou a retirada da Rússia da Primeira Guerra Mundial. Ficou conhecido pela dureza dos termos impostos pelas Potências Centrais, o que forçou a Rússia a lidar com vastas perdas territoriais.

Acesse também: Conheça a história de uma das construções mais belas da Rússia

Contexto histórico

Tropas russas durante inspeção de Nicolau II, czar russo, durante a Primeira Guerra Mundial.
Tropas russas durante inspeção de Nicolau II, czar russo, durante a Primeira Guerra Mundial.

O envolvimento da Rússia na Primeira Guerra ocorreu em razão das questões nacionalistas que envolviam a região dos Bálcãs, sobretudo a questão da Bósnia. Essas questões foram agravadas quando a Bósnia foi oficialmente anexada pela Áustria-Hungria em 1908.

No começo do século XX, existia um movimento nacionalista na Rússia conhecido como pan-eslavismo. Nesse movimento, os russos defendiam a emancipação de todos os povos eslavos (inclusive aqueles que habitavam os Bálcãs) para que eles fossem colocados sob o controle da Rússia e governados por czares. Assim, havia uma disputa de interesses entre o Império Austro-húngaro e a Rússia pelo controle dessa região.

O envolvimento da Rússia na guerra ocorreu quando a Áustria-Hungria declarou guerra à Sérvia (em 29 de julho de 1914), nação protegida da Rússia, em retaliação ao assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro do trono austríaco, por um estudante bósnio integrante de um movimento nacionalista.

Depois da declaração de guerra, a Rússia mobilizou tropas em defesa da Sérvia. No dia 1º de agosto, a Alemanha declarou guerra à Rússia em resposta à mobilização de tropas russas. No dia 6 de agosto, a Áustria-Hungria declarou guerra à Rússia.

A participação da Rússia na guerra acabou sendo um verdadeiro desastre. Antes de toda a crise estourar, um político russo chamado Piotr Durnovo|1| já afirmava a necessidade de se evitar uma guerra com a Alemanha por questões ideológicas, mas principalmente porque a guerra seria desastrosa para a Rússia.

A ordem social da Rússia reconstruiu-se de maneira muito frágil após os distúrbios que ocorreram em 1905. Durnovo temia que o envolvimento da Rússia em uma guerra voltasse a agitar a sociedade. O político russo acertou em sua previsão, uma vez que a guerra agitou profundamente a Rússia.

No primeiro ano da guerra, a Rússia esteve bem, principalmente nos combates contra tropas austríacas e otomanas, mas quando a luta ocorreu contra as tropas alemãs, o resultado para os russos foi desastroso. Os russos acumulavam derrotas para os alemães, que penetravam cada vez mais em território russo e matavam milhares de russos.

A guerra, além disso, mexeu com a economia russa de tal forma que faltavam alimentos para uma população já empobrecida demais. Isso se refletiu diretamente na ordem social, uma vez que a guerra, que nunca havia sido muito popular, passou a ser vista de maneira extremamente negativa pela população. Isso empurrou a Rússia para a revolução.

Em 1917, a Revolução Russa abalou as estruturas do país e colocou fim à monarquia czarista. Em outubro, os bolcheviques (socialistas revolucionários) tomaram o poder da Rússia. O líder dos bolcheviques, Vladimir Lenin, defendia que a saída da guerra era essencial para o futuro do país. Na visão de Lenin, a Primeira Guerra era um conflito imperialista que nada tinha a ver com os interesses do povo russo. Assim, foi criada uma comissão para negociar a paz com a Alemanha.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Acesse também: Entenda as etapas da Revolução Russa lendo sobre a Revolução de Fevereiro e a de Outubro.

Termos do tratado

A Rússia formou uma comissão liderada por Leon Trotsky. A guerra era extremamente impopular na Rússia pela falta de alimentos e pelos milhões que morreram. Além disso, o exército russo estava à beira do colapso, e as derrotas para a Alemanha começavam a ameaçar grandes e importantes cidades russas, como Petrogrado (atual São Petersburgo).

Sendo assim, a Rússia, a princípio, orientou Grã-Bretanha e França para que ambos também negociassem o fim da guerra. Como ambos não deram ouvidos, a Rússia iniciou sua retirada da guerra com as Potências Centrais de maneira isolada. A ideia era negociar termos adequados pela paz, apesar de Lenin defender a ideia de paz a todo custo.

As negociações entre russos e representantes das Potências Centrais foram iniciadas em dezembro de 1917 em Brest-Litovsk. Após idas e vindas nas negociações, os russos aceitaram os duros termos impostos pelos representantes das Potências Centrais, sobretudo por força dos alemães. A aceitação dos russos aconteceu em 3 de março de 1918. Os termos incluíam:

  • As hostilidades entre Rússia e Alemanha, Áustria-Hungria, Bulgária e Império Otomano seriam cessadas.

  • A Rússia deveria abrir mão dos seguintes territórios: Finlândia, Países Bálticos (Estônia, Letônia e Lituânia), Belarus, Ucrânia e Polônia. Os destinos desses territórios seriam decididos em comum acordo entre alemães, austríacos e as populações locais.

  • Armênia, Geórgia e Azerbaijão ganhariam sua independência.

  • Os otomanos também recuperarIam territórios que haviam sido perdidos em uma guerra travada entre otomanos e russos no século XIX.

Acesse também: Conheça a história da capital russa, a cidade de Moscou

Consequências

O Tratado de Brest-Litovsk, assinado em 1918, teve vida curta. Com a derrota alemã, ele perdeu validade e tornou-se oficialmente inválido com a assinatura do Tratado de Versalhes em 1919. Muitos historiadores argumentam que a dureza dos termos impostos em Versalhes foi um reflexo da dureza dos alemães em Brest-Litovsk.

Para a Rússia, o tratado teve um duro impacto. Os russos perderam parte considerável de seu território e de sua população. Além disso, tiveram de abrir mão de reservas valiosas de petróleo e carvão, além de toda a malha industrial que existia nos territórios cedidos. Os termos do tratado também foram muito criticados, e as concessões feita pela Rússia renderam críticas internas.

Por fim, o tratado ajudou a redefinir o mapa da Europa e levou ao surgimento de novas nações, como a Polônia, a Estônia e a Lituânia.

Resumo

O Tratado de Brest-Litovski foi um acordo que selou a paz entre a Rússia e as Potências Centrais (Alemanha, Áustria-Hungria, Bulgária e Império Otomano) durante a Primeira Guerra Mundial. Os russos iniciaram negociações logo após os bolcheviques assumirem o poder do país.

O Tratado de Brest-Litovsk foi assinado em 3 de março de 1918, e os russos abriram mão de vastos territórios. O tratado também levou a Rússia a perder reservas de carvão e petróleo e parte de sua infraestrutura industrial. O tratado, porém, logo perdeu validade após a derrota alemã e a assinatura do Tratado de Versalhes em 1919.

|1| ORLOVSKY, Daniel T. A Rússia na guerra e na revolução. In.: FREEZE, Gregory L. História da Rússia. Lisboa: Edições 70, p. 294.

*Créditos da imagem: Everett Historical e Shutterstock


Por Daniel Neves
Graduado em História

SÉCULO XVI AO XIX
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Guerras Brasil Escola