Topo
pesquisar

Batalha de Liège

Século XX

PUBLICIDADE

O conflito que, de fato, constituiu o início da Primeira Guerra Mundial foi a Batalha de Liège, na Bélgica. Essa batalha demonstrou o poder de fogo do moderno exército alemão e bravura da resistência belga que, a despeito da desvantagem em relação ao exército inimigo, resistiu durante doze dias, defendendo a cidade que deu nome à batalha. Essa batalha durou de 4 a 16 de agosto de 1914.

Tudo começou com o conhecido atentado terrorista que resultou na morte do herdeiro do trono da Áustria-Hungria, Francisco Ferdinando, na cidade de Sarajevo. Após esse episódio, Alemanha e Áustria-Hungria, sua aliada, procuraram colocar em execução o plano do conde Alfred Von Schlieffen, elaborado já em 1905, que previa um ataque germânico à França e à Rússia, de modo rápido e preciso. Um dos objetivos era a destruição do projeto de construção da Grande Sérvia e toda a estratégia pan-eslavista defendida pelo Império Russo.

Contudo, para o que plano desse certo, o exército germânico precisava atingir a França marchando, primeiramente, através da Bélgica e de Luxemburgo. Inicialmente, os germânicos acreditaram que poderiam passar pelo território belga sem enfrentar resistência, apenas firmando um acordo. Mas isso não aconteceu, e do dia 3 para o dia 4 de agosto de 1914 duas frentes alemãs penetraram o território belga, lideradas pelos generais Moltke e Alexandre Von Kluck. Era o início da “guerra de movimento”, como mostra o pesquisador Luiz de Alencar Araripe:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Sob a liderança de seu bravo rei Alberto I, não apenas o exército, mas todo o povo belga resistiu à invasão. Atiradores fustigaram os alemães por toda a parte, e estes empregaram a artilharia pesada, os gigantescos morteiros de 420 mm, para neutralizar resistências. Bombardearam cidades e aldeias, do que resultou grande número de civis mortos, feridos e desabrigados. Não atingindo o objetivo, tomaram e fuzilaram reféns. Procedimento brutal, reconheceu Moltke em carta ao general Von Hötzendorf; 'mas estamos lutando por nossa sobrevivência e todos quantos se oponham em nosso caminho terrão de sofrer as consequências', justificou.” [1]

Os alemães concentraram fogo na cidade fortificada de Liège, base estratégica da defesa belga, em virtude dos fortes que circundavam a cidade. A resistência belga ainda conseguir provocar sensíveis baixas no exército germânico. De 58 mil soldados, ao menos 20 mil morreram. Nessa batalha, várias armas consideradas muito modernas à época foram utilizadas pela Alemanha, desde canhões e lançadores de morteiros até dirigíveis da marca Zeppelin, encarregados de lançar bombas sobre Liège.

NOTAS:

[1] ARARIPE, Luiz de Alencar. Primeira Guerra Mundial. In: MAGNOLI, Demétrio. História das Guerras. São Paulo: Ed. Contexto, 2013. p. 333.


Por Me. Cláudio Fernandes

Canhão austríaco de 30,5 centímetros usado na Batalha de Liège, na Bélgica
Canhão austríaco de 30,5 centímetros usado na Batalha de Liège, na Bélgica
SÉCULO XVI AO XIX
SÉCULO XX
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Guerras Brasil Escola