Topo
pesquisar

O bunker de Hitler

Século XX

PUBLICIDADE

O projeto militar empreendido pelo Estado Nazista é notadamente compreendido por meio das medidas que antecederam os conflitos da Segunda Guerra Mundial. Adolf Hitler, chefe máximo do novo governo alemão, planejou calculadamente os riscos e as implicações que um conflito mundial poderia trazer à Alemanha e a si próprio. Talvez por isso, já em 1933, o füher teve o cuidado de construir um abrigo contra ataques aéreos na parte subterrânea da sede do governo alemão.

Essa construção, que ficou afamada como o “bunker de Hitler”, na verdade não chegou a ser completamente finalizada. Quando a invasão soviética começou a ganhar as ruas da capital Berlim, o secreto centro decisório da Alemanha Nazista ainda ganhava guaritas e torres de vigia responsáveis pela proteção do local. Quando descoberto, o bunker possuía dezesseis cômodos em que se espalhavam salas de jogos, dormitórios, cozinha, refeitório, quartos de empregado e salas de reunião.

Nos últimos meses que antecederam o fim da Segunda Guerra, Hitler transformou aquele abrigo em um quartel general de onde conduzia as ações militares de suas tropas. Ao contrário do que parecia, o abrigo subterrâneo era muito bem ventilado e contava com uma infra-estrutura mantenedora de um razoável conforto para Hilter e seus comandados.

O acirramento dos conflitos militares da época acabou atraindo os principais dirigentes do regime hitlerista, junto de seus familiares, para os porões do bunker. Além de se transformar em centro de decisão político-militar, o último foco de resistência da cúpula nazista também contava com um hospital militar e uma ala para realizar a proteção de desabrigados e mulheres gestantes.

A resistência alemã simbolizada pelas atividades no bunker só se articularam regularmente até o dia 30 de abril de 1945. Naquela fatídica ocasião, Hitler realizou uma despedida de seus comandados mais próximos e realizou um almoço com os mesmos. Depois disso, recolheu-se em seus aposentos com sua esposa Eva Braun. De repente, o barulho de um tiro irrompeu no quarto do líder nazista.

Os militares nazistas chegaram ao local encontrando o seu líder com a cabeça estraçalhada por um projétil de pistola. Eva Braun, sem nenhum sinal de ferimento, tinha sucumbido depois de ingerir uma pequena cápsula de cianureto. De imediato, os corpos de Hitler e Eva foram retirados do local e incinerados com uma farta quantidade de combustível.

Depois disso, outros grandes líderes militares nazistas também decidiram dar fim às suas próprias vidas. Os que não optaram por tal medida, tentaram fugir pelos túneis que interligavam o bunker ao metrô de Berlim. Em pouco tempo, os boatos sobre a morte do führer impeliram diversos soldados e comandantes acederem ao avanço soviético. Dessa maneira, no dia 2 de maio de 1945, as tropas russas tomaram a última morada de Hitler.

 

Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

Século XX - Guerras - Brasil Escola

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Guerras Brasil Escola