Topo
pesquisar

Noite dos Longos Punhais, o expurgo nazista

Século XX

PUBLICIDADE

A Noite dos Longos Punhais foi o nome dado a uma ação de expurgo interno ao partido nazista, ocorrida na noite do dia 30 de junho para 01 de julho de 1934. O objetivo era minar o fortalecimento dos chefes da SA, Sturmabteilung, a Tropa de Assalto dos nazistas, formada ainda na década de 1920, que tinha com principal líder Ernst Röhm.

As SA cumpriram importante papel para os nazistas no combate aos opositores políticos pelas ruas da Alemanha. Eram as SA que principalmente combatiam os comunistas, por exemplo. As SA foram se fortalecendo ao longo dos anos, tornando-se a principal força militar nazista. As SA chegaram a contar com cerca de dois milhões e meio de membros em 1934 e pretendiam ser o futuro embrião do exército nazista.

Essa pretensão gerou problemas a Hitler. O próprio presidente tinha preocupações com a possibilidade das SA se tornarem um exército, submetendo o exército alemão ao seu jugo. As brigas de rua organizadas pela SA proporcionavam ainda problemas na ordem pública das cidades alemãs. No plano interno do partido nazista, as posturas de Röhm e seus seguidores poderiam ainda colocar em questão a autoridade máxima de Hitler. Por fim, Röhm era homossexual, o que contrariava as práticas aceitas pelos nazistas.

Esses fatores levaram Hitler a utilizar a SS, Schutzstaffel, ou Tropa de Proteção, e a Gestapo, a polícia política, para prender e executar os líderes da SA. As ações ocorreram principalmente em Munique, na Baviera. Hitler havia se deslocado pessoalmente à cidade para dar as ordens de prisão, realizando essa ação pessoalmente com Röhm. Inúmeros outros líderes foram presos e, posteriormente, executados. O expurgo não se limitou aos membros da SA, atingindo também social-democratas e comunistas.

A máquina de propaganda nazista serviu ainda para apresentar o fato como uma reação de Hitler a um suposto golpe de Estado dos SA contra o Führer. O evento foi apresentado como o putsch de Röhm, colocando o chefe dos SA na cabeça de uma conspiração militar. A partir daí o que restou das SA ficou submetido às SS.

Entretanto, havia uma disputa entre a SA e a SS no comando militar das forças nazistas. Heinrich Himmler era o principal líder das SS e colocava-se ainda em uma corrente mística do nazismo, ligando a ideologia da raça ariana a preceitos religiosos, cujo símbolo era gravado inclusive com caracteres rúnicos. A SS seria responsável também pela administração dos campos de concentração e pelo extermínio judeu.

* Crédito da Imagem: Sergey Kamshylin / Shutterstock


Por Tales Pinto
Graduado em História

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Guerras Brasil Escola